domingo, 15 de fevereiro de 2009



SÃO PAULO 1X1 CORINTHIANS

Foi um clássico nervoso, alimentado pelas discussões entre representantes das duas equipes durante a semana. A estratégia de Mano Menezes não trouxe resultado e o futebol só deu as caras no segundo tempo.

O tom do jogo anunciava-se logo nos primeiros minutos do jogo: puxões, pontapés, carrinhos e reclamações. Em frente do televisor, já havia quem contabilizasse apostas sobre o total de expulsões e sobre a identidade dos premiados.

Na batalha tática, dava São Paulo, ainda que sem muito brilho. A linha de cinco homens no meio imposta por Mano Menezes tentava espelhar o esquema do Tricolor. A intenção era bloquear o rival a base de marcação e aproveitar a velocidade de seus jogadores para encaixar contra-ataques.


O treinador do Corinthians só esqueceu que André Santos não marca - no máximo, faz jogo de vista (e mal) - e que Escudeiro - nome fácil dos palpites para o primeiro vermelho - ainda oferece espaços. Ou seja, o jogo era pelo setor direito do São Paulo - embora Elias também falhasse na proteção da outra extremidade do campo.

Sorte do alvinegro que Wágner Diniz não entendeu, assim o São Paulo não conseguiu aproveitar as falhas do rival. E nas poucas vezes em chegou, teve na figura de André Lima seu principal obstáculo - talvez estivesse em campo como contrapeso a Jean.

O auge
Mas não se desespere, caro leitor, o lance pelo qual todos esperavam ocorreria ainda no primeiro tempo. Túlio recebeu bom passe dentro da área, se embananou com a bola e resolveu jogar-se no gramado.

O aprendiz de xerife, André Dias, ficou bravinho e meteu o dedo na cara do volante. Bem, aí não dá, né? Perder um gol que até meu vizinho perneta e sexagenário faria não tem problema, mas tomar bronca na frente do Brasil inteiro não é coisa que homem feito aceite de bom grado.

Resultado, respondeu com um soquinho mais mequetrefe que o do Fernando Henrique e assistiu André Dias tombar no campo como se fosse um guerreiro abatido. Enfim, um puro lance de vergonha alheia.

O árbitro fez o que lhe cabia e expulsou o indignado Túlio "Como assim, eu recebo o vermelho e o Escudeiro continua em campo?" (ok, talvez não tenha sido esse o motivo da indignação do jogador, mas foi o meu).

São Paulo com um a mais ainda na etapa inicial, mas Muricy só tirou um dos zagueiros no segundo tempo, quando mandou Hernanes e Borges à campo.

Enfim, os gols
O panorama mudou drasticamente e a partida tornou-se nitidamente mais franca. Em boa troca de passes o São Paulo chegou ao gol. Borges, que mais uma vez começa a temporada desprestigiado, marcou.

Mas o Corinthians não estava morto e Boquita, que entrou cheio de fome (admito, essa foi horrível), enxergou a passagem de André Santos e tocou com açúcar para o lateral empatar o jogo.

O São Paulo até tentou voltar a dianteira do placar, mas não deu e o destaque ficou para outras duas expulsões bisonhas (e nenhuma delas direcionada a Escudeiro, cujo nome por coincidência rima com carniceiro).

O tabu. Tabu?!
Com o resultado o Corinthians mantém a segunda posição com um ponto a mais que o rival do Morumbi. Além disso, chega a quatro jogos a série de invencibilidade do alvinegro.

O porém nesse caso é que das quatro, três partidas terminaram em empate. Equivale àqueles tabus de 93 anos, em que o Glorioso de Santarém não venceu o Unidos pelo Maneco nos dois únicos jogos disputados entre 1911 e 2004.

2 comentários:

Leandrus disse...

Infelizmente, parece que o clássico não foi dos melhores. Engraçado que vc disse que o André Santos não marca, mas quando ele jogou no Flamengo, ele chegou a jogar de zagueiro na primeira passagem do Cuca pelo clube, num daqueles 3-4-3 que ele adora montar! Enfim, coisas de Cuca mesmo, rs

E a cena da expulsão de Túlio foi digna de cinema. Um cava um pênalti ridículo, outro cai no chão como se tivesse tomado um soco do Tyson e o primeiro volta a ser protagonista quase indo às lágrimas na entrevista. Esses caras tem que mudar de profissão urgente!

Ateh!

Net Esportes disse...

Se o São Paulo joga completo ganhava fácil..... agora não importa se o soco que o cara deu na barriga do André Dias foi fraco ou não, isso é agressão e acabou, tinha que ser expulso mesmo..... e na confusão a culpa foi toda da torcida visitante que não esperou a sua hora de sair do estádio.