sexta-feira, 3 de março de 2006


Digam que ele rescinde contratos com a mesma facilidade com que joga fora um chiclete tão mascado a ponto de perder o gosto, falem que ele beija o escudo de um clube como se estivesse elogiando seu sogro à sua namorada, mas não questionem o Luizão dentro de campo.
Com a mesma desenvoltura que pratica tais atitudes fora do gramado (que são no mínimo anti-profissionais), dentro das quatro linhas o centroavante é um exemplo de garra e vontade, ainda no Corinthians, prestes a se transferir para o Borussia Dortmund da Alemanha, ele não se poupou em campo, mesmo correndo o risco de sofrer lesão e ver a venda futura frustrada (o que realmente aconteceu), no São Paulo Luizão sofreu um corte no rosto e mesmo podendo ter alguma deformação (o que também ocorreu posteriormente, mas levemente) e alheio a qualquer efeito colateral que pudesse ocorrer optou por ir a campo apenas com uma máscara protegendo sua face.

Atualmente no Flamengo o pentacampeão não teve nenhum caso similar (até porque sua ida para o clube é recente), mas sua média de gols mostra outra virtude de Luizão, a quantidade de tentos marcados, no rubro negro o camisa nove fez cinco gols em quatro partidas e já o artilheiro da equipe.

4 comentários:

Marcel disse...

Pena q o nelsinho bappptista achava ele huuuurivil!!!!

farah disse...

Opa.. só acho q foi para o Hertha.. não é isso?

Rakal D'Addio disse...

Vou olhar, mas tenho quase certeza que é Borussia, o Hertha foi depois

Rakal D'Addio disse...

Só pra constar :

Ele se transferiu posteriormente para o Grêmio ("Eu usei o Grêmio e o Grêmio me usou") de lá foi para o Hertha, onde jogou ao lado do Paraíba, mas a venda frustrada eu acho que seria para o Borussia, o Marcel deve saber isso melhor.