segunda-feira, 29 de junho de 2009




TIRANDO DILETRA

1 – ALIVE! –
Sim, o Brasil foi campeão, o jogo foi emocionante, afinal, estávamos perdendo de 2×0 e viramos o jogo, 3×2. Mas nada se compara a celebridade que assistiu ao jogo na Africa do Sul. Nada de presidente da Fifa e muito menos o mala do Pelé (ou seria Edson?), Michael Jackson, ele mesmo, comemorou com afinco o título brasileiro. Para quem não confia na credibilidade do Chongas e desta coluna (com razão), trazemos uma prova cabal, a capa do jornal O Estado de S. Paulo. Reparem a típica luvinha branca do Michael, com os punhos cerrados, comemorando a vitória brasileira!


2 – Mudar….ou mudar de vez! – Para demitir Muricy Ramalho, a diretoria do São Paulo alegou que a equipe não vinha jogando bem e era refém das bolas paradas. Sábado, na estréia de Ricardo Gomes, o tricolor ganhou do Náutico, jogando mal e com dois gols de bola parada, endossando a visão profunda que os cartolas brasileiros têm sobre futebol. De qualquer forma, o São Paulo mostrou que recuperando seus bons jogadores, como Hernanes, pode sim disputar o Brasileirão na parte de cima da tabela.

3 – Três sem tirar (parte 1) – Depois de sequência de maus resultados, o Internacional passeou em casa contra o Coritiba. Com o time bem desfalcado, o destaque do colorado foi o equatoriano Bolaños (três gols), que depois de virar craque na LDU, passou a ser perna-de-pau no Santos e ontem voltou a ser craque. E viva a imparcialidade e a avaliação ponderada da imprensa.

4 – Três sem tirar (parte 2) – Para alegria completa da nação colorada, o Grêmio também apanhou na rodada, 3×1 contra o Sport. O que fica chato é que o Gremio chega até o gol, todavia, como os atacantes são sempre argentinos e tem uma leve (olha a ironia) dificuldade para marcar, sempre apanham. Foi assim com o Maxi Lopez contra o Cruzeiro, e agora com o Herrera diante do Sport.

5 – Ódio ao pão de queijo – O Barueri mostrou nesse final de semana que não gosta muito de mineirices. Depois de vencer o Cruzeiro no Mineirão, a equipe paulista venceu o líder Atlético Mineiro, 4×2. O grande problema é que, quando o Barueri jogava nós só falávamos do Pedrão, afinal, era o único jogador que a gente sabia que jogava lá. Entretanto, só pra ferrar conosco ele resolveu sair, logo, acabamos de eleger o novo destaque da equipe, Thiago Humberto, marcou 2 gols no sábado e agora será o jogador do Barueri pro Tirando Diletra!
Thiago Humberto – destaque do Barueri durante todo o ano de 2009 para a nossa preguiçosa equipe

6 – Sorte? – No jogo mais feio da rodada, o Flamengo empatou com o Fluminense em 0×0. Muito se dizia da expectativa do duelo entre Fred e Adriano (que perdeu gol feito), mas ambos passaram em branco. Com o resultado, o Mengão mantém seus altos e baixos, enquanto o Fluminense continua só com os baixos. Aliás, falando em má fase, Thiago Neves viaja para jogar na Arábia Saudita levando uma camisa do Flu em sua bagagem… Espero que ele leve também pé de coelho e um ramo de arruda, afinal, a camisa do Flu não dá sorte pra ninguém há um bom tempo…

7 – Olha o arrastão! – Jogando com o time misto o Corinthians perdeu do Atlético Paranaense, 1×0. O jogo foi truncado, muitas vezes violento. Na verdade, eu só encontrei o motivo para tudo isso olhando o meio campo do Timão no final do jogo: Boquita, Lulinha, Jucilei, Marcinho e Saci. Parece mais apreensão de gangue no Datena do que jogo de futebol!

8 – Solitário na lanterna – Quem embarcou de vez no projeto “Série B – 2010 é logo ali” é o Botafogo. O time apanhou, no Engenhão, do Goiás, 4×1. Em uma demonstração de coletividade e timing perfeito, o atacante alvinegro Victor Simões disse que o seu gol (o 1 dos 4×1) foi o mais bonito da carreira. Bom momento para este tipo de avaliação, não?

9 – Olha ele aí – Ao contrário do clássico carioca, Palmeiras e Santos ficaram no empate, mas pelo menos saíram uns golzinhos. Obina marcou e segue provando que é quase um Eto’o. O empate do Peixe saiu com Róbson, o meia santista disse que não quer ser chamado de Robinho, para evitar que as pessoas se confundam. Muito correto o Róbson, afinal, ele é i-gual-zinho ao Robinho!


10 -To the left, to the right – Não foi desta vez que o Joel Santana virou ídolo nacional na África do Sul. Por a “lirou biti”, os Bafana Bafana perderam para a Espanha, na prorrogação, por 3×2. Mas se em pouco mais de um ano os sul-africanos já conseguiram entender a prancheta e o Joelês, imagina até a Copa. Ai gués dei quem gou on tu de quarter-fáinous.

3 comentários:

Amanda Proetti disse...

Não brinca assim com o rei menino jabbouurrr! :(

Didi Iashin disse...

"eu só encontrei o motivo para tudo isso olhando o meio campo do Timão no final do jogo: Boquita, Lulinha, Jucilei, Marcinho e Saci. Parece mais apreensão de gangue no Datena do que jogo de futebol!"
Cara, só você para me fazer rir!!
Não é só pelos nomes, não, é pelo futebol criminoso que esse pessoal joga!

Breiller Pires disse...

Hahaha! Boas observações, Marcel.

Vestir a camisa do Fluminense é como encomendar mandinga pronta para si mesmo. Aposto que se o Kaká fosse pro Flu, além de perder o bom futebol, ia parecer mais feio que Amaral e Tevez juntos.

E não tenha dúvidas: as coletivas de Joel Santana serão as mais aguardadas na Copa do Mundo. Se bem que até lá dá pra ele treinar seu inglês "hype pray right"...